Mercado

  • História e atualidade

         
         Idealizado pelo arquiteto Mota Gomes e projectado no final do século XIX, a construção do Mercado Municipal foi a obra arquitetónica mais marcante da primeira década do século XX, no Concelho de Loulé.
         Para a sua construção foi adotado um estilo neo-árabe inserido na corrente artística, denominada Arte Nova, com quatro pavilhões e quatro portões, pretendendo com a sua magnitude simbolizar a dimensão e prosperidade do Concelho.

         Devido à sua grandiosidade, esta foi uma obra que acarretou elevados custos para a Autarquia, tendo sido necessário sujeitar o projecto inicial do Mercado a algumas alterações, nomeadamente a abolição de dois torreões da ala sul, de algumas lojas, bem como de todos os azulejos idealizados para o revestimento. Desta forma as obras do novo Mercado Municipal foram adjudicadas em Junho de 1905 e ultrapassadas todas as dificuldades a sua inauguração teve finalmente lugar no dia 27 de Junho de 1908.

         Ao longo da sua história o Mercado Municipal comportou já diversas obras de melhoria, ampliação e remodelação, sendo que a mais recente e significativa teve início em 2004. Nesta foram tidos em consideração vários aspetos, tais como a construção dos dois torreões que constavam no projeto inicial de 1905, a reabilitação integral de todas as fachadas, estruturas metálicas existentes e substituição da estrutura de betão armado da ala sul por estrutura metálica. Foram também melhoradas as condições de funcionamento nas zonas de venda e nas redes técnicas do Mercado. Consequentemente foi também alvo de remodelação toda a zona envolvente à área do Mercado.
         Após 3 anos de trabalhos intensivos o Mercado Municipal reabriu as suas portas no dia 1 de Fevereiro de 2007.
    A intervenção a que foi sujeito recentemente visou a valorização de um espaço visitado por milhares de turistas, a defesa do património histórico e a criação de condições para a sua utilização numa perspetiva de modernidade, higiene e segurança compatíveis com as exigências dos tempos actuais, contribuindo para promover os produtos tradicionais da região algarvia e para a afirmação deste espaço como local de animação e divulgação cultural, não descurando a sua componente turística, dada a sua localização e características, que o tornam o principal ex-líbris da cidade de Loulé.

         Totalmente remodelado e melhorado, nas suas valências, este edifício nobre da cidade, tem sido “palco” de inúmeras atividades e eventos onde claramente se destaca a “Feira do Chocolate”, que visam não apenas tirar partido do seu amplo e airoso espaço, valorizando-o, bem como promover a variedade e qualidade dos produtos que diariamente ali se encontram ao dispor dos consumidores, nacionais e estrangeiros.

         O Mercado Municipal de Loulé desempenhou e continua a desempenhar um importante papel económico para muitas famílias do concelho, com várias gerações ligadas ao espaço. Detém também uma importante função social, uma vez que é um ponto de encontro e de sociabilidade, um local público por excelência, signo marcante da cidade, objeto de memórias individuais e colectivas.

         Pela sua localização e forte imagem arquitetónica, é a edificação que mais caracteriza a cidade de Loulé, sendo generalizada entre os naturais do Concelho uma forte ligação afetiva com o Mercado, fruto, direta ou indiretamente, de memórias ligadas a um espaço de vidas e história por excelência.